Gerais

Jovem de Futuro inicia as atividades no Rio Grande do Norte

11 abril 2017

Para marcar o início das atividades do Projeto Jovem de Futuro no estado do Rio Grande do Norte foram realizados dois eventos, nos dias 06 e 07 de abril, em Natal. O primeiro foi uma cerimônia oficial do governo do estado, para assinatura do contrato de parceria, que contou com a presença do governador Robinson Faria, da secretária da Educação e Cultura, Cláudia Santa Rosa, e do superintendente do Instituto Unibanco, Ricardo Henriques.

“O Jovem de Futuro é um presente para as novas gerações e para a educação do nosso estado. É uma nova era que estamos construindo”, afirmou o governador. Já a secretária de educação ressaltou a importância dessa parceria: “O que nos interessa é avançar nos resultados da aprendizagem dos jovens e quem quiser colaborar com esse objetivo é bem-vindo. O Instituto Unibanco traz uma meta para a nossa rede avançar, não tem milagre, mas sim, muito trabalho”.

O objetivo do projeto é auxiliar que o Rio Grande do Norte em 2019 suba da 26ª para a 22ª posição no Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica).

No dia 07/04, foi realizado o Seminário Diagnóstico Educacional do RN onde foi apresentada uma análise de dados socioeconômicos e educacionais do estado e também a estratégia do Jovem de Futuro para cerca de 400 gestores escolares, gestores regionais e assessores pedagógicos do estado. O evento foi produzido pelo Instituto Unibanco em parceria com o Instituto Ayrton Senna e a Secretaria de Estado da Educação e da Cultura do Rio Grande do Norte.

Ricardo Henriques destacou o cenário educacional do estado e o desafio da rede para alcançar a meta estabelecida para 2019: “A meta é ousada, mas é realista. Não estamos mirando um ranking, e sim a melhoria da trajetória e do aprendizado dos jovens. Queremos uma ruptura na trajetória da educação no Rio Grande do Norte, que está estagnada há uma década”, ponderou ele. “Enquanto a taxa de aprovação do Brasil está, em média, em 80%, no Rio Grande do Norte está em 69%, um dos índices mais baixos do país. Queremos aumentar a aprendizagem e com mais inclusão de jovens e isso só será possível com enorme corresponsabilização entre todas as instâncias educacionais”, completou.

Para Luzia Neuza Araújo, gestora da EE Silvio Bezerra de Melo, Currais Novos (RN), toda a discussão proposta foi muito rica. “Este é um momento de reflexão muito importante. A partir desse debate, temos que fazer uma autoavaliação da nossa atuação e como podemos melhorar”, afirmou ela, que continuou: “Ter a chance de levar essa discussão para nossas escolas é um desafio que vai tirar todo mundo da zona de conforto. Só temos a ganhar”.

O projeto Jovem de Futuro será implementado, inicialmente, em 143 escolas regulares do Ensino Médio do estado que foram escolhidas através de um sorteio, realizado em março deste ano. Outras 100 unidades de ensino deverão entrar no projeto em três anos.