O que é

O Jovem de Futuro foi criado pelo Instituto Unibanco em 2007 com a premissa de que a gestão escolar de qualidade, orientada para resultados, pode proporcionar um impacto significativo no aprendizado dos estudantes do Ensino Médio. Isso porque entende que uma gestão eficiente, participativa e com foco nos resultados de aprendizagem influencia de maneira decisiva a qualidade da educação oferecida pelas escolas.

O Jovem de Futuro é uma tecnologia educacional, desenvolvida e testada pelo Instituto Unibanco, e validada pelo Ministério da Educação (MEC) para o aprimoramento contínuo da gestão escolar orientada para resultados de aprendizagem dos estudantes de escolas públicas de Ensino Médio.

A fase piloto do Jovem de Futuro foi realizada de 2008 a 2010 em escolas públicas de Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e São Paulo. Ao final desse período, a avaliação de impacto constatou que os estudantes das escolas atendidas tiveram um avanço no aprendizado de Língua Portuguesa e Matemática mais significativo em comparação com os jovens das escolas que não participaram do projeto.

De 2012 a 2014, o Jovem de Futuro foi articulado ao Programa Ensino Médio Inovador, do Ministério da Educação, constituindo-se o ProEMI/JF, e disseminado nas redes públicas de ensino do Ceará, Goiás, Mato Grosso do Sul, Pará e Piauí, em parceira com as Secretarias Estaduais de Educação.

A partir da experiência acumulada e do conhecimento adquirido nessas parcerias, em 2015 inicia-se uma nova fase do Projeto Jovem de Futuro no Espírito Santo, Pará e Piauí e o ProEMI/JF segue no Ceará e em Goiás.

De 2008 a 2015, já participaram do projeto Jovem de Futuro aproximadamente 2.500 escolas e quase 2 milhões de estudantes.

Em sua trajetória, o projeto mantém as diretrizes de uma gestão escolar estruturada e participativa, com alta qualidade técnica e orientada para a melhoria dos resultados de aprendizagem dos estudantes.

Piloto

A fase piloto, de 2008 a 2010, representou um período de laboratório do projeto Jovem de Futuro, com apoios técnico (supervisão direta) e financeiro (aporte de recursos) proporcionados pelo Instituto Unibanco para escolas dos estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e São Paulo.

Essa fase identificou que o projeto gera um impacto relevante, com resultados positivos na aprendizagem dos estudantes em Língua Portuguesa e Matemática.

A partir de 2011, o Projeto Jovem de Futuro foi implementado nas escolas que não receberam o projeto na fase piloto. Essas escolas integraram o projeto desde o início. Porém, não contaram durante os três primeiros anos com os apoios técnico e financeiro do Instituto Unibanco. Elas faziam as avaliações e tinham seus resultados comparados com as escolas que recebiam a primeira implantação do projeto. O compromisso firmado entre o Instituto Unibanco e as quatro Secretarias de Educação previa que, ao final da fase de testagem, estas escolas passariam a receber integralmente o apoio do projeto Jovem de Futuro.

O Projeto já foi concluído nos estados de Minas Gerais e Rio Grande do Sul e será encerrado em São Paulo e Rio de Janeiro em 2015.

Disseminação

Após a implementação do Jovem de Futuro em fase piloto em escolas públicas de Ensino Médio, ele foi validado como uma tecnologia educacional pelo Ministério da Educação (MEC), o que possibilitou a sua aplicação em larga escala.

Os bons resultados obtidos pelo projeto na fase piloto permitiram a realização da parceria entre o Instituto Unibanco e o Ministério da Educação (MEC), gerando a integração do Programa Ensino Médio Inovador (ProEMI) e do Jovem de Futuro (JF).

De 2012 a 2014, o ProEMI/JF foi implementado nas redes públicas de ensino do Ceará, Goiás, Mato Grosso do Sul, Pará e Piauí, em parceria com as Secretaria Estaduais de Educação.

A partir da experiência acumulada e do conhecimento adquirido nessas parcerias, em 2015 inicia-se uma nova fase do Projeto Jovem de Futuro no Espírito Santo, Pará e Piauí e o ProEMI/JF segue no Ceará e em Goiás.

Rede Jovem de Futuro

Para atestar a sustentabilidade do conhecimento gerado e dos bons resultados obtidos pelas escolas que participaram da fase laboratório do projeto, em outubro de 2011, foi criada a Rede Jovem de Futuro.

A Rede é formada por escolas públicas de Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul, que concluíram o ciclo do Jovem de Futuro. O objetivo é contribuir para a melhoria da qualidade do Ensino Médio público por meio de ações conjuntas e trocas de experiências e de informações, para que o aprendizado seja compartilhado.