Notícias

Edital ‘Gestão Escolar para a Equidade – Juventude Negra’ divulga os dez projetos selecionados

Neste Dia da Consciência Negra, 20 novembro, são divulgados os nomes dos 10 projetos selecionados no edital Gestão Escolar para a Equidade – Juventude Negra, lançado em agosto deste ano pelo Instituto Unibanco, o Fundo Baobá e a Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Foram selecionados quatro projetos da região Nordeste, três da região Norte, dois da região Sul e um da região Sudeste. As escolas e ONGs selecionadas receberão apoios técnico e financeiro para desenvolver os projetos em escolas públicas de Ensino Médio ao longo de 2015.

Conheça abaixo os projetos selecionados pelo edital Gestão Escolar para a Equidade – Juventude Negra:

Região Sudeste
1. Projeto: Escola Estadual Nair Mendes Moreira
Local: Contagem (MG)
Número de alunos: 359 estudantes de Ensino Médio

Região Sul
2. Projeto: Nuvem ONG em parceria com o Colégio Estadual São Francisco de Assis (Educação do Campo)
Local: Campo Largo, região metropolitana de Curitiba (PR)
Público: escola rural
Número de alunos: 136 alunos de Ensino Médio (390 no total)

3. Projeto: Anarquistas contra o Racismo (ACR) em parceria com a Escola Estadual Rubens de Arruda Ramos
Local: Criciúma (SC)
Público: urbano
Número de alunos: 205 estudantes de Ensino Médio (304 no total)

Região Nordeste
4. Projeto: Escola Estadual Sebastião de Oliveira
Local: Apori (RN)
Público: escola rural
Número de alunos: 50 estudantes de Ensino Médio (135 no total)

5. Projeto: Associação Grãos de Luz em gestão compartilhada com a Associação Beneficente dos Pescadores do Remanso em parceria com a escola Centro Educacional Renato Pereira Viana
Local: Lençóis/BA

6. Projeto: EEEP Marta Maria Giffoni de Souza
Local: Acaraú (CE)

7. Projeto: Escola de Ensino Fundamental e Médio Deputado Joaquim de Figueiredo Correia
Local: Iracema (CE)
Público: urbano/quilombola
Número de alunos: 388

Região Norte
8. Projeto: Associação Remanescentes Quilombolas do Cigano em parceria com a Escola Municipal de Ensino Fundamental e Médio Odilon Hiolanda Pontes (ARQUIC)
Local: Tracuateua (PA)
Público: rural e quilombola
Número de alunos: 30 estudantes de Ensino Médio (370 no total). Em 2014 formou as primeiras classes de Ensino Médio. Atende alunos das comunidades quilombolas.

9. Projeto: Escola de Aplicação da Universidade Federal do Pará
Local: Belém (PA)
Público: urbano
Número de alunos: 400 estudantes de Ensino Médio (1.491 no total)

10. Projeto: Colégio Estadual de Cristalândia
Local: Cristalândia (TO)
Público: Rural e urbano
Número de alunos: 249 estudantes de Ensino Médio (679 no total)

Após uma triagem inicial realizada pelo Fundo Baobá, a seleção dos dez vencedores foi feita por um comitê formado por representantes do Fundo Baobá, do Instituto Unibanco, da UFSCar, do Geledés Instituto da Mulher Negra e da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão (Secadi) do Ministério da Educação (MEC).

Foram selecionados projetos de gestão escolar que buscam elevar os resultados educacionais dos jovens negros e das jovens negras no Brasil. Ou seja, que contribuam para a elevação de indicadores como o acesso, a conclusão, a frequência, o rendimento escolar, o número de estudantes que ingressam em cursos de educação superior e outros índices correlatos.

Ao longo da vigência do edital, a UFSCar acompanhará e documentará os projetos. Ao final, serão sistematizadas todas as experiências e as mais exitosas serão divulgadas com o intuito de servirem como inspiração para outras escolas. “Estratégias de gestão como sistemas de incentivo, infraestrutura, apoio ao professor e outras, têm a possibilidade de enfrentar a questão das desigualdades raciais na educação, desde que os gestores escolares priorizem essa questão como foco de suas ações” afirma Ricardo Henriques, superintendente executivo do Instituto Unibanco.

A maioria dos projetos apresentados está referenciada na lei 10.639/2003 que inclui a obrigatoriedade do ensino da história e da cultura afro-brasileira e africana nas escolas. “Fiquei extremamente impressionado com a qualidade técnica das propostas, com foco bem demarcado na importância da lei 10.639/03, o que demonstra que as escolas entendem que a lei é o carro chefe na gestão da equidade nas escolas. Foi muito positivo também ver o grande número de propostas de áreas rurais e quilombolas” aponta Thiago Thobias, diretor de Políticas de Educação do Campo, Indígena e para as Relações Étnico Raciais da SECADI-MEC.

No total, mais de 120 projetos de escolas públicas de Ensino Médio e de organizações sem fins lucrativos (parceiras de escolas públicas) de todo o Brasil se inscreveram no edital. O Instituto Unibanco, a UFSCar e o Fundo Baobá agradecem intensamente a participação.