Notícias

Enem 2013: entenda o que muda

Em 2013, o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) apresenta mudanças em relação às provas aplicadas no ano passado. A correção da redação será mais rigorosa. Um texto só receberá nota máxima se apresentar domínio da norma culta. Para não tirar pontos de uma redação que contenha erro de português, os avaliadores deverão apresentar justificativa.

Além disso, os textos que tiverem mais de 100 pontos de discrepância entre a correção de dois avaliadores (e não mais 200 pontos como em 2012) serão encaminhados a um terceiro corretor. Se a discrepância continuar, uma banca certificadora – com três avaliadores – analisará a prova. Os candidatos poderão solicitar vistas da correção, porém não poderão pedir a revisão da nota.

Trechos deliberadamente desconexos do tema proposto deverão provocar a anulação da redação.

As provas terão também 180 questões objetivas. No primeiro dia (26/10), os candidatos terão 4 horas e 30 minutos para responder perguntas de ciências humanas e ciências naturais. No segundo dia (27/10), as provas serão de linguagens e códigos e matemática, além da redação. A duração será de 5 horas e 30 minutos. O gabarito deve ser divulgado até dia 30/10/2013.

As inscrições da edição 2013 encerraram no dia 27 de maio, com um total de 7,1 milhões de candidatos. O número é recorde nos 15 anos de existência do exame – 24% maior que a edição de 2012. As regiões Nordeste (29%) e Norte (26%) apresentaram crescimento acima da média.

O Enem é aplicado anualmente pelo Ministério da Educação (MEC) e busca avaliar o desempenho ao fim do Ensino Médio. Criado em 1998 para diagnosticar a qualidade da última etapa da educação básica, em 2009 passou a também ser utilizado em processos seletivos para as faculdades e universidades federais. Atualmente, com as notas do exame é possível obter a certificação de conclusão do Ensino Médio (para alunos maiores de 18 anos e que não concluíram esse nível de escolaridade na idade adequada), para concessão de bolsas de estudo em cursos de intercâmbio e participação em programas do governo federal: Programa Universidade para Todos (Prouni), Sistema de Seleção Unificada (SiSU), Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) e Ciência sem Fronteiras.