Notícias

Ensino médio é foco de estudo da série Excelência com Equidade

Pesquisa lançada pelo Interdisciplinaridade e Evidências no Debate Educacional (Iede) mapeia estratégias e práticas das escolas públicas com bons resultados no Ensino Médio

Entender as estratégias e práticas das escolas públicas que atendem alunos de baixo nível socioeconômico e conseguem bons resultados no Ensino Médio. Este é o objetivo do estudo “Excelência com Equidade no Ensino Médio: a dificuldade das redes de ensino para dar um suporte efetivo às escolas”, realizado pelo Interdisciplinaridade e Evidências no Debate Educacional (Iede), com o apoio da Fundação Lemann, do Instituto Unibanco e do Itaú BBA.

A pesquisa selecionou escolas com bons resultados na Prova Brasil e no Enem 2017 que tivessem taxa de aprovação mínima de 95%. Das 5.042 escolas públicas de Ensino Médio elegíveis de serem estudadas, somente 100 atingiram os indicadores de qualidade propostos, sendo 82 delas de tempo integral.

Segundo Ernesto Martins Faria, diretor executivo do Iede e pesquisador responsável pelo estudo, foram identificados três aspectos comuns a essas escolas: “o olhar forte em relação ao uso de dados e monitoramento contínuo para a gestão de aprendizagem; o período integral, que oferece mais tempo pedagógico com os alunos; e a mescla de métodos de fixação com métodos que estimulam a aprendizagem criativa dos alunos”.

Numa segunda etapa do estudo, gestores de escolas e alguns alunos se reuniram para discutir os diferenciais de suas unidades de ensino, destacando o acolhimento ao aluno, o protagonismo juvenil e a gestão escolar voltada para práticas pedagógicas. O programa Jovem de Futuro, desenvolvido pelo Instituto Unibanco, foi citado como potencializador e apoiador dessas práticas.

Durante o evento de lançamento, foi apresentada  a plataforma Mapa da Aprendizagem, que reúne os índices de aprendizagem de estudantes do mundo todo de acordo com o Programa Internacional de Avaliação de Estudantes, o PISA. A proposta do mapa é discutir as grandes desigualdades presentes na educação brasileira, principalmente em relação ao nível socioeconômico dos alunos, sexo e localização.

O estudo “Excelência com Equidade no Ensino Médio: a dificuldade das redes de ensino de darem um suporte efetivo às escolas” é a terceira etapa da série Excelência com Equidade, que começou em 2012 com a análise dos anos iniciais do ensino fundamental. O documento pode ser consultado clicando neste link.