TOPO

Assistência Humanitária Emergencial

Em sintonia com as demais ações do conglomerado Itaú-Unibanco, na busca por mitigar o risco de expansão e contaminação e auxiliar as populações em maior situação de vulnerabilidade diante da pandemia do novo coronavírus (COVID-19), o Instituto Unibanco estruturou e implementou, entre março e outubro de 2020, uma agenda de ações humanitárias nos estados do Rio de Janeiro, Ceará e Minas Gerais, com o objetivo de apoiar as populações mais vulneráveis na mitigação dos impactos sociais e econômicos causados pela pandemia.

Através da análise de dados disponíveis pelo governo, foram identificadas as famílias em situação de extrema vulnerabilidade, com renda de até meio salário mínimo, para que recebessem os benefícios. Posteriormente, as ações foram expandidas para outros públicos afetados pela crise, como catadores de materiais recicláveis, camelôs, travestis e transexuais, egressos do sistema prisional, população em situação de rua, jovens em liberdade assistida e idosos.

Para atendê-los, foram firmadas parcerias com 23 organizações locais de atuação reconhecida nos territórios selecionados e a capilaridade necessária para a distribuição de kits e a transferência de recursos. Além disso, o Instituto Unibanco construiu um plano de trabalho com cada uma dessas entidades, que incluiu o acompanhamento das ações realizadas e ajustes e correções de rota, resultando em muitos casos em ampliação do escopo e do número de beneficiários. Cerca de 115 mil famílias e quase 20 mil pessoas foram contemplados pelas iniciativas da frente humanitária, que repassou um total de R$46,5 milhões às instituições parceiras.

distribuição de kits de alimentos e de higiene, transferência de renda (cartões-alimentação) e refeições prontas foram as ações imediatas da agenda, com duração mínima prevista inicialmente de três meses.

Num segundo momento, outros tipos de ação foram viabilizados pelos recursos disponibilizados: distribuição de kits de inverno e de equipamentos de proteção individual (EPIs), apoios a abrigos e estruturação de centro emergencial de acolhimento para a população em situação de rua, bolsa para jovens e apoio para cadastramento no programa de auxílio emergencial do governo federal.

O andamento dessa agenda foi divulgado por meio de 17 edições do Boletim Assistência Humanitária no Contexto da Covid-19 produzidas ao longo desse período, que também buscaram destacar o trabalho desenvolvido pelas 23 organizações parceiras. A 18ª e última edição traz um balanço das ações, retoma o processo de constituição dessa frente e enumera os legados e aprendizados adquiridos, além dos desdobramentos dessa agenda.

Confira os vídeos do presidente do Conselho do Instituto, Pedro Moreira Salles, e do superintendente, Ricardo Henriques, sobre os resultados alcançados pela agenda humanitária: