TOPO

Jovem de Futuro

O Jovem de Futuro foi lançado em 2007 com o objetivo de contribuir para a garantia da aprendizagem dos alunos do Ensino Médio como consequência de uma gestão educacional orientada para o avanço contínuo da educação pública.

O programa, implementado em parceria com as Secretarias Estaduais de Educação, disponibiliza para as escolas e para as redes uma metodologia e instrumentos que dão suporte ao trabalho de gestão. As ações do Jovem de Futuro estão estruturadas em cinco eixos – assessoria técnica, formação, análise de dados, sistemas tecnológicos criados especialmente para o programa e avaliação – que se articulam por meio do método Circuito de Gestão.

Como funciona

Circuito de Gestão, Avanço Contínuo, Forma de Atuação e Comunidade de Práticas.

O Jovem de Futuro é um programa desenvolvido pelo Instituto Unibanco com o objetivo de apoiar as redes públicas a oferecer uma educação de qualidade, que possibilite o desenvolvimento integral de todos os  estudantes, com equidade, num processo de transformação contínuo.

Ir para página
Como funciona

VEJA NO MAPA OS ESTADOS PARCEIROS

2.266 de escolas
835.016 estudantes
5 mil profissionais da educação formados

Linha do tempo

História
2020
2020
2019
2018
2017
2016
2015
2014
2013
2012
2011
2010
2009
2008
2007
2006

Até 2020, o Jovem de Futuro atendeu a 3 milhões de estudantes de 11 estados.

Atualmente, o Jovem de Futuro está presente hoje em 3.382 escolas do país, distribuídas em seis estados:

Estados Ano de ingresso Escolas Estudantes
Ceará 2012 643 347.861 mil
Espírito Santo 2015 237   89.470 mil
Goiás 2012 590 181 751 mil
Minas Gerais 2008(*) 1.343 438.516 mil
Piauí 2012 451 107.582 mil
Rio Grande do Norte 2017 141   49.056 mil

 

(*) A primeira fase, de validação, em Minas Gerais foi de 2008 a 2014.  O programa passou a ser implementado em escala no estado em 2019.

 

 

Implantação do Jovem de Futuro em 1.296 escolas de Minas Gerais.

 

Em 2019, o Jovem de Futuro impactou 1,1 milhão de estudantes, o que representa 18% das matrículas do Ensino Médio, de 3.358  escolas em seis estados: Ceará, Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Piauí e Rio Grande do Norte.

 

A avaliação de impacto mostrou que a taxa de aprovação aumentou nas escolas atendidas pelo programa. E o aumento de proficiência entre os estudantes foi de 30% em Língua Portuguesa e 40% em Matemática.

O Jovem de Futuro recebeu a medalha de bronze na categoria “Latin America Regional Award” do Reimagine Education Awards. O prêmio seleciona os projetos mais bem-sucedidos na criação de iniciativas educacionais transformadoras, que melhorem os resultados de aprendizagem de estudantes e/ou empregabilidade.

 

Neste ano, o Jovem de Futuro se consolidou em 2.265 escolas.

O programa sai do Pará.

 

Três estados do Jovem de Futuro – Ceará, Espírito Santo e Goiás – ficam entre os quatro melhores desempenhos do país no Ideb do Ensino Médio.

 

Quatro seminários nos estados do Espírito Santo, Goiás, Pará e Piauí reuniram duas mil pessoas para a troca de experiências sobre gestão escolar.

 

A segunda edição dos Diálogos sobre Gestão teve como tema central a melhoria da aprendizagem e reuniu 3,7 mil pessoas no total, entre estudantes e gestores, nos estados parceiros.

 

Nova parceria com a Secretaria Estadual de Educação do Rio Grande do Norte levou o Jovem de Futuro para 141 escolas da rede , alcançando cerca de 147 mil estudantes.

 

Saem os resultados da avaliação de impacto do Jovem de Futuro feita com 141 grupos de estudantes em dez estados. No recorte impacto sobre a proficiência em matemática e língua portuguesa, os estudantes que participaram do programa tiveram um acréscimo de aprendizagem de 5 pontos na escala Saeb, o que representa um ano a mais de escolaridade, em relação ao grupo de controle.

 

O evento Diálogos sobre Gestão Escolar impactou mais de 1.900 estudantes dos cinco estados parceiros do Jovem de Futuro. Os participantes registraram suas percepções pessoais sobre a gestão escolar em produções artísticas e literárias.

 

Foram realizados cinco IUHacks, maratonas tecnológicas com a participação de cerca de 50 estudantes de cada um dos cinco estados, para enfrentar jornadas de aprendizagem com duração de 30 a 36 horas de duração.

Lançamento do Sistema Instituto Unibanco de Análise da Rede Estadual de Ensino Médio (SITUA), que disponibiliza informações educacionais para as Secretarias de Educação.

Início da terceira fase do Jovem de Futuro em 150 escolas do Espírito Santo e ampliação para mais 45 escolas no Pará e 139 no Piauí. No Ceará e em Goiás, o projeto completou o terceiro ano no formato ProEMI/JF. Em São Paulo e no Rio de Janeiro, escolas da fase piloto concluíram o ciclo do Jovem de Futuro. No Mato Grosso do Sul, o projeto foi descontinuado.

Inclusão do terceiro grupo de escolas participantes do ProEMI/JF em Ceará, Goiás, Mato Grosso do Sul, Pará e Piauí.

Ampliação do ProEMI/JF em Ceará, Goiás, Mato Grosso do Sul, Pará e Piauí.  Revisão e aprimoramento de processos e ferramentas do programa.

 

Em parceria com as Secretarias Estaduais de Educação, implementação em escala do ProEMI/JF nas redes públicas de ensino dos estados de Goiás, Ceará, Mato Grosso do Sul, Pará e Piauí.

Criação do Sistema de Gestão de Projetos (SGP) e do Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA).

Parceria com o MEC e articulação do Jovem de Futuro ao Programa Ensino Médio Inovador, formando o Programa Ensino Médio Inovador/Jovem de Futuro (ProEMI/JF). No mesmo ano, foi criada a Rede Jovem de Futuro para o compartilhamento de experiências entre os estados.

 

Implantação do Jovem de Futuro em 33 escolas no Rio de Janeiro.

Reconhecimento do Jovem de Futuro como tecnologia educacional pelo MEC, em consequência dos bons resultados da fase piloto. Essa validação possibilitou a sua aplicação em larga escala. Implantação do programa em 34 escolas da cidade de São Paulo e em mais 39 no Vale do Parnaíba.

Início da fase piloto do Jovem de Futuro nas redes estaduais de Minas Gerais e Rio Grande do Sul. Essa rodada foi um período de validação de estratégias e metodologias que revelou resultados positivos na aprendizagem dos estudantes em Língua Portuguesa e Matemática.

Primeira implementação do Jovem de Futuro em quatro escolas situadas na vizinhança do antigo Centro de Estudos do Instituto Unibanco, na zona oeste de São Paulo (SP).

Elaboração da primeira proposta de implantação do Jovem de Futuro e seleção das escolas participantes do teste do projeto.

Criação da primeira versão do Jovem de Futuro e seleção das escolas.

NOSSOS LIVROS

Relatório de Atividades 2019: Jovem de Futuro | Ceará

Relatório de Atividades 2019: Jovem de Futuro | Espirito Santo

Relatório de Atividades 2019: Jovem de Futuro | Goiás

Relatório de Atividades 2019: Jovem de Futuro | Minas Gerais

Relatório de Atividades: Jovem de Futuro | Piauí

Relatório de Atividades 2019: Jovem de Futuro | Rio Grande do Norte