TOPO

Civilização ou barbárie

02/05/2022 | Editado em 02/05/2022 16:18

Em sua coluna na Folha de S.Paulo, a professora e especialista em educação Claudia Costin aproveita o Dia Nacional da Educação para propor uma reflexão sobre o atual momento da educação brasileira. Para mostrar o seu ponto de vista, Claudia recorre à expressão “vivemos tempos estranhos”, utilizada por ministros do STF nos últimos anos, e completa com “a polidez voltou a significar um sinal de fraqueza, a educação parece demandar, como logo antes da Primeira Guerra, um ímpeto militarizante e xenófobo e em que a religião se orgulha de andar armada”, afirma a educadora.

 

 

Compartilhe esta notícia!