TOPO

Encontro no Rio de Janeiro reúne projetos selecionados pelo Edital Elas nas Exatas

30/06/2016 | Editado em 30/06/2016 17:22

Nos dias 27 e 28 de junho, foi realizado o II Diálogo Elas nas Exatas, no Rio de Janeiro. O encontro é parte do processo formativo dos projetos do Edital Gestão Escolar para Equidade: Elas nas Exatas, promovido pelo Instituto Unibanco em parceria com a Fundação Carlos Chagas e o Fundo Social Elas, que selecionou dez projetos desenvolvidos em escolas públicas de Ensino Médio com o intuito de estimular meninas a se interessarem pelas áreas de ciências exatas e naturais.

Três integrantes de cada projeto selecionado passaram estes dois dias com pesquisadores e especialistas em questões de gênero para discutir como a educação, em especial a pública, pode contribuir com a diminuição da desigualdade no país. A narrativa predominante na sociedade brasileira, de que meninas não gostam ou não se saem bem em matemática e ciências, foi amplamente debatida e desconstruída ao longo do evento.

“A diferença (nas notas) de meninas e meninos é pequena nos anos iniciais do Ensino Fundamental (1,8 ponto percentual), mas vai aumentando até chegar a 5,2 pontos no 3º ano do Ensino Médio. Sabemos que essa diferença não é natural, já que em países mais igualitários isso não ocorre. Por isso a importância deste edital, que apoia a elaboração de propostas de enfrentamento dessa questão”, disse Denise Hirao, responsável pela área de Fomento do Instituto Unibanco, na abertura do encontro.

Amália Fischer, coordenadora do Fundo Social Elas, reforçou a importância da discussão de gênero nas escolas. “Esse debate amplia a atuação do movimento de mulheres voltada para a equidade de gênero em um território fundamental para a transformação social: a escola”.

Edital Gestão Escolar para Equidade: Elas nas Exatas

A elaboração do edital, pela Fundação Carlos Chagas, Fundo Elas e Instituto Unibanco, foi uma forma de contribuir para a maior inserção de meninas em carreiras nas ciências exatas e naturais, ampliando seu repertório de escolhas profissionais e de projetos de vida. O edital selecionou dez projetos em 2015, que estão sendo desenvolvidos ao longo deste ano em escolas públicas do Ensino Médio de nove estados (Amazonas, Bahia, Ceará, Minas Gerais, Paraíba, Rio de Janeiro, Rio Grande de Norte, Santa Catarina e São Paulo). O principal objetivo é reduzir o impacto das desigualdades de gênero nas escolhas profissionais das jovens estudantes, com envolvimento da gestão escolar.

“Gestão escolar para equidade significa o reconhecimento da diversidade das trajetórias juvenis. As diferenças se apresentam como desigualdades nas escolas. Uma gestão escolar para equidade permite organicidade de ações e implica o campo decisório da escola”, afirmou no evento Maria Julia Gouveia Azevedo, gerente de implementação de projetos do Instituto Unibanco.

As representantes das dez iniciativas compartilharam suas experiências e trocaram ideias com as palestrantes, com o intuito de identificarem dificuldades e oportunidades para aprimorarem seus projetos. O resultado foi apresentado ao final do evento. Os projetos estão sendo monitorados pelo Fundo Elas ao longo de 2016 e serão avaliados pela Fundação Carlos Chagas ao final do período para identificar as iniciativas com potencial de replicação em outras escolas e que apontem o alcance de resultados efetivos para a ampliação da inclusão das meninas nas áreas de exatas.

 

Compartilhe esta notícia!