TOPO

Instituto Unibanco apoia publicação que reúne artigos inéditos sobre equidade racial na educação básica

12/08/2021 | Editado em 12/08/2021 18:56

Nove pesquisadores demonstram como ações afirmativas são essenciais para reduzir as desigualdades educacionais e os impactos do racismo no futuro dos estudantes

Contribuir para uma educação com mais equidade para crianças, adolescentes e jovens negros é o objetivo dos pesquisadores que participaram da primeira edição do Edital de Equidade Racial na Educação Básica.

O resultado deste trabalho pode ser conferido em publicação digital que reúne os nove artigos científicos selecionados, abordando temas como práticas pedagógicas antirracistas, feminismo negro, representatividade na literatura infantil e reprodução de racismo nas escolas.

A diretora-executiva do CEERT (Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdades), Cida Bento, destaca:

“A situação educacional de mais da metade da população brasileira, que é negra, é silenciada. Porém, a sociedade civil está viva, protagonizando ações que visam compreender melhor as situações de desigualdades que ocorrem pelo país. O edital é uma das estratégias para superar essa realidade e os artigos científicos são uma rica contribuição para o debate no campo da equidade educacional”.

Você pode conferir os artigos aqui.

Edital

O Edital de Equidade Racial na Educação Básica é uma iniciativa do Itaú Social com realização do Ceert (Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdades), em parceria com o Instituto Unibanco, Fundação Tide Setubal e Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância).

Além de selecionar os artigos científicos, o edital está investindo R$ 3 milhões para o desenvolvimento de pesquisas aplicadas que buscam soluções para a redução das desigualdades étnico-raciais na educação.

Para garantir a transparência em todo o processo seletivo, as cinco instituições realizadoras e parceiras formaram uma estrutura de governança, com o apoio de um conselho consultivo constituído por especialistas da temática racial, educação básica, assim como fomento e organização de editais de pesquisa.

Lista completa dos artigos vencedores:

Doutorado

“Literatura negra feminista: uma proposta de enfrentamento ao sexismo e ao racismo epistemológico”, Viviane Marinho Luiz (SP)

“O Potencial de Práticas Decoloniais na formação docente”, Priscila Elisabete da Silva (SP)

“O Ensino Médio na Amazônia “Negra”: indicadores e perspectivas de alunos negros sobre o mercado de trabalho no Amapá”, João Paulo da Conceição Alves (PA)

Mestrado

““Eu sô peta, tenho cacho, sô linda, ó”: o que dizem as crianças sobre a literatura infantil de temática da cultura africana e afro-brasileira”, Sara da Silva Pereira (PR)

“A Potencialidade da Literatura como Prática Pedagógica Antirracista: um estudo de caso”, Vinícius Oliveira Pereira (RJ)

“Práticas culturais e ensino de História em uma escola quilombola no município de Horizonte-Ceará”, Geimison Falcão (CE)

Graduação

“O Quilombismo na Literatura Africana e Afro-Brasileira: Uma perspectiva identitária na educação escolar”, Nayane Larissa Vieira Pinheiro (CE)

“Olhar Opositor e um futuro negro na educação: possibilidades para uma prática antirracista a partir de novos regimes de visualidade”, Louise Marinho Costa de Assis (SP)

“A reprodução do racismo no contexto escolar: um relato de experiência”, Nairana da Silva Lima do Rozario (SP)

Compartilhe esta notícia!