TOPO

Webinário debate os desafios e superações dos professores na pandemia

29/10/2021 | Editado em 29/10/2021 15:43

Encontro promovido em parceira com o Instituto Península apresentou pesquisa e reuniu especialistas em Educação

Na última quarta-feira (27), o Instituto Unibanco e o Instituto Península promoveram o webinário Professor na pandemia: desafios e superações. O evento reuniu especialistas para debaterem o resultado da pesquisa Desafios e perspectivas da educação: uma visão dos professores durante a pandemia, realizada pelo Instituto Península, que ouviu 2.557 mil profissionais da educação entre 30 de agosto e 9 de setembro.

O encontro contou com abertura de Ricardo Henriques, superintendente-executivo do Instituto Unibanco, e Heloísa Morel, diretora do Instituto Península. A apresentação do estudo foi realizada por Marina Ferraz, coordenadora de Pesquisa e Projetos no Instituto Península, e o debate contou com a presença de Romildo Calixto, professor da rede estadual de Minas Gerais; Alexandre Schneider, presidente do Instituto Singularidades; e Ellen Gera, secretário de educação do estado do Piauí. A mediação do encontro, transmitido ao vivo pelo YouTube do Instituto Unibanco, ficou a cargo de Rita Jobim, coordenadora de Políticas Educacionais do Instituto Unibanco.

Ricardo Henriques abriu o evento agradecendo a parceria com o Instituto Península e comentando sobre a pesquisa:

“É uma honra estar em parceria com o Instituto Península neste seminário, atuando em uma pesquisa que eles organizaram – muito potente – chamada Desafios e perspectivas da educação: uma visão dos professores durante a pandemia. É um estudo que vocês conhecerão agora, que trata de conversas com professores, coordenadores pedagógicos e diretores, analisando as percepções desse período de aumento da oferta de ensino remoto – já considerando o período de volta das aulas presenciais. Trata-se de uma pesquisa-chave para dar um norte, um mapa de navegação para secretarias e gestores saberem como enfrentar esse desafio do retorno às aulas, levando em consideração esses insumos ricos e variados que temos”, comentou.

Heloísa Morel agradeceu a parceria com o Instituto Unibanco e comentou sobre a atuação do Instituto Península, voltado aos professores:

“A nossa missão de contribuição com a melhoria da Educação é através do trabalho focado nos professores. Nosso propósito é fazer com que esses profissionais voltem a ser valorizados como merecem pela nossa sociedade; e que a nossa sociedade olhe para esses profissionais como profissionais e não simplesmente como pessoas vocacionadas à docência. Dessa forma são todas as nossas batalhas, iniciativas, e o Singularidades é um dos nossos projetos do coração, uma faculdade totalmente voltada ao professor. É para isso que a gente existe. Nessa linha, ao longo da pandemia, tivemos uma vontade muito grande de conhecer mais quem são os professores do Brasil”, pontuou.

Rita Jobim iniciou a mediação do debate:

“Queria agradecer também essa parceria com o Instituto Península. É muito bom poder estar aqui nesse webinário com vocês. Para mim é um prazer mediar esse encontro. Como o Ricardo e a Heloísa falaram, vamos apresentar e comentar essa pesquisa sobre os desafios e perspectivas dos professores durante a pandemia”.

Marina Ferraz, por sua vez, apresentou a Pesquisa Desafios e perspectivas da educação: uma visão dos professores durante a pandemia.

“Neste período de pandemia, entendemos que era importante saber o que estava acontecendo com os professores – não só pensando nos desafios profissionais, mas também pessoais, e também entender quais foram os aprendizados e superações. Então, durante todo o ano de 2020 e no decorrer de 2021, fizemos uma série de pesquisas com os professores. Hoje vamos apresentar um foco específico pensando na retomada das aulas presenciais, já aproveitando o contexto de volta às aulas. Trata-se de uma pesquisa quantitativa com a participação de mais de 15 mil professores brasileiros, contemplando todos os estados, rede pública, privada e todas as etapas de ensino”, contextualizou.

Em seguida, Romildo Calixto falou sobre os desafios que teve que superar na rede privada e na rede pública durante a pandemia.

“Embora nós tenhamos todos os motivos para desistir da profissão, em relação a reconhecimento e valorização, ainda assim a gente consegue ser professor e se orgulhar de ser professor – principalmente nesses tempos em que a nossa profissão está sendo valorizada. Acreditamos que a Educação não é capaz de transformar o mundo sozinha, mas que é através dela que a gente pode transformar as bases pelas quais o mundo é construído”, refletiu.

Alexandre Schneider analisou a sensação que a pandemia deixou nos educadores.

“As pesquisas do Instituto Península foram muito felizes em mapear todos os momentos. Então a gente sai de professores que estão muito ansiosos em um determinado período e que, depois, essa ansiedade foi caindo, mas, junto com isso, há uma grande preocupação com o bem-estar dos alunos, em como eles irão voltar às salas de aulas e o que deve ser feito como educador. E acho que aí tem uma questão: qual é o nosso papel como educadores neste momento? A gente obviamente tem que ter uma preocupação com aprendizagem, mas ela não vai acontecer se nós não estivermos fortes e se os estudantes não estiverem fortes para aprender”, pontuou.

Por fim, Ellen Gera debateu sobre a importância do vínculo entre escolas e estudantes: “O que teria sido desse período de pandemia, de praticamente dois anos de educação remota, se os professores não tivessem aceitado vir para a linha de frente do combate à pandemia por meio da Educação – se reinventando, se desafiando, vindo para as telas, atravessando rio, subindo morros, indo nas casas dos estudantes e ligando para as casas?”, questionou.

“Os relatos que temos são diversos. Às vezes ficamos presos no modelo do conceito híbrido e a gente imagina um conceito remoto híbrido olhando somente para a tela do computador, mas no dia a dia desses dois anos, o que as professoras e professores desse país fizeram é algo que merece ser registrado nos livros de história, porque, de fato, eles enfrentaram a pandemia na linha de frente. Sem contar que, em 2020, ainda sem vacina, muitos professores foram para a sala de aula receber estudantes no ambiente das escolas”, comentou.

O webinário Professor na pandemia: desafios e superações está disponível na íntegra no canal do YouTube do Instituto Unibanco:

A Pesquisa Desafios e perspectivas da educação: uma visão dos professores durante a pandemia está disponível no Observatório de Educação do Instituto Unibanco: https://bit.ly/3mkqxcZ

Compartilhamento de práticas: Inspirando e valorizando experiências na Educação

O Instituto Unibanco também promove, no dia 3 de novembro, às 16h, o webinário Compartilhamento de práticas: Inspirando e valorizando experiências na Educação. O encontro marca o lançamento do novo Banco de Soluções, plataforma colaborativa do Observatório de Educação – Ensino Médio e Gestão que reúne e organiza por temas os depoimentos de gestores, professores e alunos sobre ações que deram certo em suas escolas. O debate contará com falas de Denílson Garcia, diretor da Graça Aranha, escola estadual de Ensino Fundamental e Médio de Santa Maria de Jetibá (ES); Vagna Brito de Lima, coordenadora de Formação Docente e Educação a Distância da Secretaria da Educação do Estado do Ceará (Seduc-CE); Jane Rêgo de Lima Pimentel, da 4ª Gerência Regional da Secretaria de Estado da Educação do Piauí (4ª GRE/Seduc-PI); e do jornalista Antonio Góis. A abertura será de Ricardo Henriques e a mediação, de Jane Reolo, coordenadora de Inovação em Educação do Instituto.

A transmissão ao vivo, acontecerá no canal do Youtube do Instituto Unibanco: https://youtu.be/fM-9I0rcgMI

Compartilhe esta notícia!