TOPO

A luta indígena pela educação

14/04/2021 | Editado em 14/04/2021 16:18

Sete em cada dez estudantes da educação básica pública sem acesso à internet são negros e indígenas. É o que aponta o levantamento realizado pelo Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (Cebrap) em parceria com a Rede de Pesquisa Solidária, que mostrou que 4,3 milhões de alunos negros, pardos e indígenas da rede pública brasileira ficaram sem atividade escolar em casa no ano passado devido à pandemia. A dificuldade de acesso, principalmente na educação infantil e em comunidades rurais, é algo que chama atenção da Secretaria de Estado de Minas Gerais (SEE-MG), que trabalha para identificar as dificuldades dos alunos.  “Temos uma diversidade gigantesca dentro da rede, mas é importante frisar que temos um programa robusto de fortalecimento dos estudantes”, afirma a superintendente de Políticas Pedagógicas da secretaria, Esther Augusta Nunes Barbosa.

 

Compartilhe esta notícia!