TOPO

Auxílio emergencial sem plano aprofundará desigualdade e afetará jovens 

07/04/2021 | Editado em 07/04/2021 14:39

Em sua coluna, a jornalista Maria Carolina Trevisan analisa as desigualdades sociais e os problemas econômicos agravados pela pandemia de Covid-19 no Brasil e pela negligência do governo Bolsonaro. Em entrevista, Ricardo Henriques, superintendente-executivo do Instituto Unibanco afirma que “as pessoas estão sem nenhuma reserva, sem trabalho informal, a fatalidade aumentou, as famílias perderam suas âncoras”. Na visão dele, a construção da saída da crise social deve percorrer obrigatoriamente quatro caminhos dentro de um plano estratégico: compreender o sentido urgência da crise, realizar uma recomposição intertemporal de saída (com plano para uma década), ter como centro da estratégia a redução da desigualdade e projetar o processo de crescimento econômico. 

Compartilhe esta notícia!