TOPO

Escola Jovem de Futuro do Pará recebe prêmio Construindo a Nação 2013

18/03/2014 | Editado em 18/03/2014 11:51

A Escola Estadual Pitágoras, localizada na cidade de Ananindeua, no Pará, recebeu na última segunda-feira (17) o “Prêmio Construindo a Nação 2013”, na categoria destaque social, com o projeto “Alfabetização Científica por meio de experimentos físicos e químicos”, desenvolvido pelos alunos do Ensino Médio.

O prêmio é oferecido pelo Instituto da Cidadania do Brasil e tem como objetivo estimular, reconhecer e difundir ações realizadas pelas escolas e seus alunos, tanto de ensino público como privado, para melhorar as comunidades onde estão inseridas. O evento aconteceu na Sala São Paulo, na Estação Júlio Prestes (SP).

“O projeto surgiu devido à dificuldade dos alunos de entender o conteúdo das disciplinas de física e química, consideradas difíceis. Então, foi proposto a realização de atividades ambientais interdisciplinares, experiências em sala de aula, oficinas e visitas em fábricas e universidades, que incentivariam o aprendizado, levando o aluno a perceber a importância cotidiana na formação cidadã de tais disciplinas”, explicou a diretora da escola, Ana Lúcia Correa Albuquerque.

Os alunos da Escola Pitágoras vivenciaram questões relacionadas a química e a física durante visitas realizadas na Universidade Federal do Pará (UFPA) e em uma fábrica de alumínio, além de obterem informações de mercado de trabalho e atividades relacionada às ilhas de Ananindeua, localizadas na Região Metropolitana de Belém. Essas atividades ofereceram o contato com a comunidade local onde foi trabalhado a questão ambiental, como o lixo e a análise de água, físico-química, do rio e do poço de residências.

As aulas de química e física passaram a relacionar conteúdos teóricos vistos em sala de aula com experimentos, melhorando o desempenho nas disciplinas. As atividades, contou ela, passaram a relacionar conteúdos teóricos vistos em sala de aula com experimentos, melhorando o desempenho nas disciplinas. “Hoje o projeto é uma ação do Programa Ensino Médio Inovador/Jovem de Futuro (ProEMI/JF)”, acrescentou Albuquerque.

O ProEMI/JF reflete uma parceria público privada entre o Ministério da Educação (MEC), cinco Secretarias Estaduais de Educação e o Instituto Unibanco, que permitirá, até 2016, universalizar o programa nas escolas públicas de Ensino Médio do Ceará, Goiás, Mato Grosso do Sul, Pará e Piauí, atendendo cerca de 2.500 unidades de ensino e mais de 2 milhões de alunos. Além de incentivar o redesenho curricular das escolas, o programa também busca fortalecer a gestão escolar, com foco na melhoria dos resultados de ensino.

Compartilhe esta notícia!