TOPO

Especialistas discutem a cultura do acolhimento em Webinário

02/06/2021 | Editado em 02/06/2021 12:26

Evento promovido pela Secretária de Estado da Educação do Piauí e pelo Instituto Unibanco é o segundo do ciclo de webinários promovido para os profissionais da rede estadual de educação

No dia 27 de maio, a Secretaria de Estado da Educação do Piauí e o Instituto Unibanco realizaram o webinário Episódio 2: A cultura do acolhimento no espaço escolar, segundo encontro do Ciclo de Webinários de Gestão da Educação Piauiense, iniciado em abril. Com transmissão ao vivo e tradução em libras, o evento teve a fala de abertura de José Barros, superintendente de Educação Técnica e Profissional e de Educação de Jovens e Adultos da SEDUC-PI; e as participações de Hanna Beatriz Pires, psicóloga da 20° Gerência Regional da Educação (GRE) da SEDUC-PI;  Isa Magalhães, sócia e diretora da Ludis – Programa de Educação Socioemocional; e Jane Reolo, coordenadora de Soluções em Tecnologia no Instituto Unibanco. A mediação ficou a cargo de Viviane Carvalhedo, diretora do Canal Educação da SEDUC-PI.

Iniciando a conversa, José Barros, que também é coordenador estadual da Comissão de Enfrentamento às Situações de Violência Escolar, destacou a importância de se sentir acolhido no ambiente escolar, principalmente diante da pandemia.

“Pensando nisso, a Seduc-PI tem trabalhado com foco no enfrentamento dos possíveis conflitos que os estudantes possam estar passando. Com as aulas remotas, vemos que essa equipe multiprofissional foi fundamental para dar a assistência que nossos alunos merecem”, afirmou.

Em seguida, Hanna explicou a diferença entre acolhimento e terapia, trazendo a informação de que qualquer pessoa, independentemente de sua profissão, pode acolher o outro.

“O acolhimento é como eu olho para o sujeito, como me coloco à disposição dele, que está ali, com suas emoções”. A psicóloga falou também do projeto cuidando de mim, desenvolvido pela 20ª GRE, que promove o acolhimento dos estudantes de 75 escolas do estado. “Fazemos o projeto com os alunos, mas haverá também espaços como esse para que professores e gestores possam falar sobre saúde mental, autocuidado, e encontrar ajuda”.

A especialista Isa Magalhães, por sua vez, abordou os valores e premissas da cultura de acolhimento.

“Trazer a educação socioemocional para dentro das escolas visa o desenvolvimento de ações de acolhimento para a melhoria dos estados emocionais e sociais da comunidade escolar. E é na escola que a educação das emoções para o desenvolvimento de competências socioemocionais tem que acontecer de forma mais profunda, porque contribui para a redução das desigualdades e dos conflitos advindos das mais diversas crises, como a pandemia, mas também de conflitos, bullying, entre outros”, disse.

Encerrando o debate, Jane, do Instituto Unibanco, aproveitou sua fala para trazer sua experiência como gestora escolar no processo de construção de um ambiente acolhedor para profissionais da escola e estudante.

“Essa foi uma cultura construída aos poucos, com trabalho em equipe e visão compartilhada, inclusive com os estudantes, que apoiavam as ações de acolhimento e promoviam assembleias”, explicou. E lembrou que é importante que esse processo de transformação escolar, tenha bases em evidências. “Para apoiar os gestores nisso, o Instituto Unibanco desenvolveu um protocolo de acolhimento, com metodologia que pode ser colocada em prática em diferentes contextos e aplicada de maneira ininterrupta, de forma que fortaleça uma cultura de solidariedade na escola”, finalizou.

Para acessar o documento, clique aqui.

Confira a íntegra do webinário Episódio 2: A cultura do acolhimento no espaço escolar:

Compartilhe esta notícia!