TOPO

Histórias do Jovem de Futuro: acreditar na Educação é o caminho

02/09/2021 | Editado em 02/09/2021 18:17

O Instituto Unibanco acredita no poder transformador da Educação. E reconhece o valor de cada um dos educadores nesse processo. Por meio do programa Jovem de Futuro, conhecemos vivências e ações de diferentes cidades do Brasil. A cada evento, encontro, projeto, webinário, podemos ouvir experiências e conhecimentos que precisam ser compartilhados.

Foi desse desejo que surgiu a série Histórias do Jovem de Futuro, que traz um pouco da experiência dos profissionais de educação das escolas parceiras. Em nossa segunda edição, convidamos você a conhecer Regilberto José Silva, gestor da Escola João Barbosa Limas, em Itaiçaba (CE), que é parceira do Jovem de Futuro.

Regilberto Silva – Diretor

Natural de Itaiçaba (CE), uma cidade pequena, com menos de 8 mil habitantes, em que a maioria da população precisa ir para cidades vizinhas para trabalhar e estudar, Regilberto tem muito orgulho do trabalho que desenvolve na sua cidade natal.

Filho de um pedreiro e uma doméstica, nunca esqueceu as palavras dos seus pais: “a única coisa que temos para deixar para você é o estudo e o conhecimento”. Sua primeira escola foi justamente a escola estadual em que hoje é diretor. No Ensino Médio, optou por permanecer em Itaiçaba e cursar o Normal, ficando, assim, habilitado a dar aulas para estudantes do Ensino Fundamental I.

Após pouco mais de um ano de formado, foi convidado por uma ex-professora a assumir turmas em uma escola em sua cidade. Depois disso, trabalhou em diversas escolas como professor, fez faculdade de Letras, especializações e mestrado. Regibelto acredita que o professor nunca pode deixar de ser, antes de tudo, um estudante. E lá se vão 28 anos de carreira na Educação.

Antes de assumir a direção da Escola João Barbosa Limas, passou também pelos cargos de professor e coordenador. Segundo ele, conhecer bem o funcionamento da escola, a equipe e as demandas da comunidade é fundamental para uma boa gestão escolar. Como diretor, implementou na escola o lema que guia seu trabalho: “a aprendizagem é a nossa meta”. E isso vai muito além dos conteúdos acadêmicos. Para ele, é necessária uma formação integral que preze pelos aspectos socioemocionais dos jovens, uma educação para a vida.

Ao longo de oito anos na equipe gestora da escola, Regilberto aprendeu que é indispensável construir uma escola democrática, baseada no diálogo entre estudantes e familiares, professores e funcionários.

“Aqui nós buscamos mostrar para os estudantes que eles também fazem parte da escola e que nós queremos ouvi-los. Eles participam das discussões com os professores, dos conselhos de classe. Temos reuniões periódicas com o Grêmio Escolar. Temos aprendido e evoluindo muito nesse aspecto”, afirmou.

O gestor ainda compartilhou ter uma experiência muito positiva com o Jovem de Futuro. Segundo ele, o programa ajudou a organizar a escolar, criar metas e a planejar a partir de dados, sistematizando os processos e criando método para o trabalho de gestão.

“O Jovem de Futuro me despertou o desejo de aprender mais e, por causa do programa, entrei na faculdade de Administração Pública”.

Compartilhe esta notícia!