TOPO

Histórias do Jovem de Futuro: Dez anos de programa no Piauí

21/03/2022 | Editado em 21/03/2022 18:38

Quando Maria José Mendes Neta, a Mazé, ingressou como professora celetista, em 2008, na Escola Sales Martins, no município de Castelo, no Piauí, a realidade era ainda mais dura que hoje. O estado apresentava 2,52 no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), 0,64 ponto abaixo dos 3,16 da média nacional, e vinha lutando para melhorar a educação local.

Mazé trazia na bagagem três graduações – em administração, geografia e teologia –, além de muita vontade de contribuir para a educação do seu estado. Com essa base, não demorou para que se engajasse ainda mais, logo como professora efetiva, em 2010, depois coordenadora pedagógica, indo então para Teresina, para ser coordenadora do setor de Mediação Tecnológica, e não parou mais. Desde 2020, é diretora da Unidade de Ensino e Aprendizagem (UNEA), da Secretaria da Educação do Estado.

Para Mazé, pandemia ajudou o Jovem de Futuro a evoluir no Piauí. Crédito: arquivo pessoal

Com todo esse histórico, Mazé vivenciou as várias fases do programa Jovem de Futuro, implementado no estado desde 2012, e que hoje está em 520 escolas das 641 da rede. Mazé nos contou um pouquinho desse crescimento e dessa história.

Hoje completando dez anos no Piauí – mesmo tempo que no Ceará e em Goiás –, o Jovem de Futuro chegou ao estado quando era articulado com o Programa Ensino Médio Inovador (ProMI), do MEC. Nessa época, o programa levava às escolas projetos de aprendizagem ativa, além de promover a formação dos gestores da escola e determinar a criação de planos de ação anuais.

A partir de 2015, o Jovem de Futuro viveu uma reestruturação nacionalmente, passando a ser implementado como uma parceria direta entre o Instituto Unibanco e secretarias estaduais da Educação. Neste novo formato, o método do Circuito de Gestão ganhou ainda mais força, e o problema a ser enfrentado tornou-se sistêmico: todas as pessoas no sistema de ensino (incluindo das regionais e secretarias), e não apenas nas escolas, passam a ser responsáveis pelo desempenho dos estudantes. Para Mazé, essa corresponsabilização das instâncias foi muito importante e até hoje é parte central no programa.

Outro avanço destacado por Mazé é a expansão do Jovem de Futuro que, tendo começado no Ensino Médio, diante dos bons resultados, chegou ao Fundamental II, em 2021. Hoje, das 198 escolas que ofertam Ensino Fundamental II no Piauí, o programa está em 191, o que representa 96%:

“O grande avanço no Circuito de Gestão foi sair da caixinha de escola de Ensino Médio, entrando nas escolas do fundamental e o Instituto Unibanco permeando em todas as áreas: hoje já está no planejamento, na engenharia, já se encaminha de ir para demais modalidades de ensino, como o AEJA (Ensino de Jovens e Adultos) e a educação profissional. Além disso, não podemos negar que o grande avanço do Jovem de Futuro é estar apoiando as secretarias nas diversas frentes de trabalho: Novo Ensino Médio, processo de formação etc., então é um avanço contínuo de ambos”.

Transformações na pandemia

Um dos momentos mais desafiadores do Jovem de Futuro no Piauí nos últimos anos, segundo Mazé, foi a pandemia do coronavírus. Ela conta que o Circuito de Gestão vinha sendo trabalhado como método, mas que quando houve necessidade de adaptações para o sistema não-presencial e depois híbrido, ele deixou de ser um circuito do Instituto Unibanco, passando a ser um circuito de gestão do estado.

“Para mim, o maior marco foi a pandemia. Mesmo em um contexto pandêmico, tivemos a capacidade de customizar o programa, sem perder a qualidade do trabalho. E, mesmo neste contexto atípico, novo, o que se fez foi ampliar. Então o que poderia ser um problema, foi visto como uma oportunidade, por essa capacidade de se abrir, se permitir, aprender junto, ter um circuito com a cara do estado, ir para outras frentes, então, para mim, foi um grande marco”.

Além disso, conta Mazé que a Sala de Gerenciamento de Crise (SGC), criada na pandemia para responder de forma ágil, agora tornou-se a Sala de Situação. Composta por secretários, superintendentes e diretores da unidade central da sede da Seduc, nela são debatidas as ações mais estratégicas, que precisam de uma definição e validação.

Para saber mais

Quer conhecer mais da história e dos resultados do Jovem de Futuro no Piauí, acesse o Relatório de Atividades – Jovem de Futuro – Piauí – 2020, neste link.

Comemoração

Em comemoração aos dez anos da implementação do Jovem de Futuro no estado, a Secretaria da Educação do Piauí (Seduc-PI) e o Instituto Unibanco promovem em Teresina, no dia 24 de março, o seminário “Educação piauiense em avanço contínuo: gestão e tecnologia pela aprendizagem”, juntamente com o lançamento do Marco de Gestão da Educação do Piauí. O evento, que acontece das 7h30 às 13h, terá transmissão ao vivo pelo Canal Educação, acesse:

Compartilhe esta notícia!