TOPO

Instituto Unibanco debate legado e história do Paulo Freire

17/09/2021 | Editado em 17/09/2021 12:47

Encontro foi realizado em parceria com a Escola do Parlamento da Câmara Municipal de São Paulo

Na última quarta-feira (15), o Instituto Unibanco e a Escola do Parlamento da Câmara Municipal de São Paulo promoveram o webinário Paulo Freire 100 Anos: Histórias e legados, segundo encontro da série de três webinários em homenagem ao centenário de Paulo Freire. Com mediação de Ricardo Henriques, superintendente-executivo do Instituto Unibanco, o evento contou com Sérgio Haddad, coordenador de Projetos Especiais da Ação Educativa; Alexsandro Santos, diretor da Escola do Parlamento da Câmara Municipal de São Paulo; e Cida Perez, ex-secretária de educação da cidade de São Paulo.

Ricardo Henriques abriu a mesa de debates destacando as contribuições do educador, que possui sua obra publicada em mais de 40 línguas e é o terceiro autor mais citado no mundo no campo das ciências humanas. Citando os recentes ataques injustificados a Freire, Henriques destaca que o objetivo do encontro é fazer um debate qualificado sobre seu legado.

“O nosso foco hoje é na atualidade, na contemporaneidade deste pensador universal, com a capacidade de atualizar a reflexão sobre Paulo Freire”, afirmou.

Em seguida, Sérgio Haddad falou sobre o grande valor da celebração do centenário do Paulo Freire. Para ele, essa é uma grande oportunidade de trazer à tona seu pensamento, sua importância e de fornecer instrumentos para avaliar a realidade do momento atual. O especialista também destacou o enorme reconhecimento que o educador possui, afirmando que o Brasil deve utilizar essa celebração para auxiliar na compreensão do que o pensamento freireano propõe. Haddad também falou sobre a necessidade da ação para alcançar o projeto de sociedade dos sonhos.

“É a ideia de que o futuro não é inexorável, a história não é inexorável. Para Freire, nós somos construtores desse caminho e nós temos direito a um sonho, as nossas utopias. Todo mundo tem direito de sonhar com uma vida melhor”, disse.

Cida Perez, por sua vez, trouxe a importância dos diálogos e da leitura de mundo trazidos por Freire. Ela destaca a necessidade de olhar a conjuntura, onde o estudante está inserido, o que está ao seu redor, os fatos, para depois olhar para a palavra. Além disso, ela também afirma ser essencial abranger os olhares para além das escolas, levando para ONGs e todo local que têm uma participação na educação, indo além da parte geográfica que está colocada, mas abrangendo a comunidade, com diálogo com escuta, reflexão e respeito.

“A gente faz uma releitura social o tempo todo a partir do que nos rodeia e que acontece, principalmente, quando a gente pensa na política educacional”, ressaltou.

Já Alexsandro Santos refletiu sobre o seu primeiro contato com a obra de Paulo Freire, em um curso de magistério quando tinha apenas 17 anos. Para ele, a obra freireana é essencial para quem busca pensar na educação a partir das desigualdades. Além disso, Alexsandro ressalta o diferencial do educador, que tinha como característica ser um homem de ideias e ações, ao colocar em prática o que teorizava no campo da educação, como, por exemplo, a sua atuação na redemocratização do Brasil após o exílio forçado pela ditadura militar.

“É mão na massa. É a visão de um intelectual engajado, orgânico, que atua no front das contradições sociais e que não tem medo de fazer um diálogo necessário para a construção das políticas públicas, para disfrutar o futuro. Essa é uma marca indelével do Paulo Freire”, pontuou.

O webinário Histórias e legados está disponível na íntegra pelo link:

Educação e Mudança Social

Na próxima quarta-feira (22), às 16h, o Instituto Unibanco e a Escola do Parlamento da Câmara Municipal de São Paulo promovem o webinário Educação e Mudança Social, último da série Paulo Freire 100 anos. Com participação de Macaé Evaristo, vereadora da Câmara Municipal de Belo Horizonte (MG); Miguel Arroyo, professor emérito da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG); e Silvio Meira, presidente do conselho de administração do Porto Digital e Movimento Maker do Recife; o encontro terá mediação de Maju Azevedo, gerente de Implementação de Projetos do Instituto Unibanco.  Aberto ao público, o webinário será transmitido ao vivo, a partir das 16h, no canal do Instituto Unibanco no YouTube:

Compartilhe esta notícia!