TOPO

Webinário discute a importância do monitoramento e da avaliação na Gestão Educacional

16/07/2021 | Editado em 16/07/2021 13:49

Evento realizado pelo Instituto Unibanco reuniu especialistas para debater os impactos do acompanhamento de dados na gestão escolar

No dia 14 de julho, foi realizado o webinário Monitoramento e Avaliação e seus efeitos na Gestão Educacional, mais um evento do ciclo de webinários Educação para Juventudes, promovido pelo Instituto Unibanco. Para discutir as inovações propostas no campo da avaliação educacional, o encontro contou com abertura e mediação de Maju Azevedo, gerente de implementação de projetos do Instituto Unibanco; e apresentações de Endy Albuquerque Silva, gerente de avaliação da Secretaria de Estado da Educação do Espírito Santo (SEDU-ES); Marília Daniela Aragão, gerente de Ensino Fundamental da Secretaria de Estado de Educação do Piauí (SEDUC-PI); Patrícia Morais Coutinho, superintendente de organização e atendimento educacional da Secretaria de Estado de Educação de Goiás (SEDUC-GO); Pedro Henrique Sampaio, coordenador regional de desenvolvimento da Educação (CREDE 9 Horizonte-CE). O evento foi transmitido ao vivo com tradução em libras no canal do Instituto no Youtube.

Maju Azevedo iniciou o encontro falando sobre a importância do ciclo de webinários de 2021 e, na ocasião, comemorou os já dezesseis eventos realizados.

“O Instituto tem promovido o Ciclo Educação para juventudes para nos convidar a pensar um novo modelo de Educação e um caminho para reorganização do Ensino Médio. Aqui, buscamos discutir estratégias para recuperação da aprendizagem no atual contexto, sem perder de vista o desafio de avançar em agendas estruturais do País na Educação”, declarou.

Endy Albuquerque compartilhou com os espectadores como foram realizadas as Avaliações Diagnósticas na rede pública do Espírito Santo em 2020 e 2021. Segundo ela, o SEDU-ES aplicou as Avaliações para todos os estudantes da rede estadual, do terceiro ano do Ensino Fundamental ao terceiro ano do Ensino Médio. O objetivo desse amplo levantamento de dados foi auxiliar o governo a estruturar e implementar políticas públicas mais assertivas durante esse período de tantos desafios para Educação Básica.

“Infelizmente, ao comparar as Avaliações, detectamos uma queda acentuada de desempenho e de aprendizagem em todos os componentes curriculares e séries da nossa rede. Ao vermos todas essas perdas, ficou mais evidente a necessidade urgente de repensar as nossas propostas de intervenções curriculares e as prioridades de ação. A partir disso, compartilhamos com todos os profissionais da rede uma análise detalhada dos dados e, em com isso, reestruturamos o currículo escolar e criamos o Programa de Fortalecimento de Aprendizagem, por exemplo”, destacou.

E seguida, Pedro Henrique Sampaio trouxe sua experiência frente à CREDE 9 Horizonte-CE, que contempla a região metropolitana de Fortaleza, com 6 municípios. Ele apresentou o organograma, adaptado durante a pandemia, com todos os pilares e ações do sistema de monitoramento da rede cearense, que propõe para as regionais: Avaliação Diagnóstica; Avaliação Processual; acompanhamento do rendimento escolar por meio do Diário Online; fomento de interação entre as escolas da rede; e Avaliação de Impacto. A partir das análises de todas etapas, o SEDUC-CE traçou como estratégias de atuação, por exemplo, Plano de Ação do Circuito de Gestão, Plano de Execução Curricular e a Busca Ativa.

“Entendemos que nós, a nível de regional, precisamos usar todos esses dados para tomadas de decisões junto às escolas e as escolas junto às suas comunidades escolares na revisão e na execução dos planos curriculares nos próximos semestres”, afirmou.

Marília Daniela, por sua vez, compartilhou as vivências no Piauí. As avaliações diagnósticas já eram realizadas periodicamente, mas foi um grande desafio desenvolver um sistema de monitoramento durante o fechamento das escolas. A SEDUC-PI criou um aplicativo para provas on-line, que distribuía os resultados individuais e coletivos para os professores, gestores, superintendes e equipe da Secretaria. Dessa forma, tornou-se possível que os professores pudessem traçar estratégias de trabalho individualizadas para seus estudantes e turmas. Para instâncias superiores os dados foram importantes na criação de projetos e estratégias macro para toda a rede.

“Esse processo foi muito positivo, tivemos um excelente retorno dos nossos profissionais e isso gerou uma grande interação entre eles, permitindo trocas de experiências pedagógicas exitosas”, mencionou.

Encerrando as apresentações, Patrícia Morais Coutinho falou sobre as ações tomadas pela SEDUC-GO. Já no início das restrições das aulas presenciais, foi criado um Painel de Monitoramento, que acompanhava, diariamente, junto aos tutores educacionais, dados como frequência dos estudantes, quais estudantes não possuíam acesso à internet, as ferramentas mais e menos utilizadas, entre outros. Com essas informações, foi possível fazer com muito êxito e força a Busca Ativa na rede.

“Como esses dados eram colhidos diariamente, a gente já observava, por exemplo, que um estudante estava há três dias sem frequentar o ambiente on-line. Ligávamos de imediato para os responsáveis, caso não tivéssemos sucesso nesse contato, mobilizávamos uma ida às residências para entendermos o que estava acontecendo e como poderíamos ajudar”, destacou.

Para assistir à gravação do webinário Monitoramento e Avaliação e seus efeitos na Gestão Educacional acesse:

No dia 21 de julho, às 16h, o próximo encontro terá como tema Avaliação de aprendizagem por seus protagonistas. Com tradução em libras, o encontro será transmitido ao vivo pelo canal do Instituto no YouTube: https://youtu.be/IyLJhyaR6YY.

Compartilhe esta notícia!