TOPO

Instituto Unibanco promove curso “Liderança e Gestão escolar em tempos de crise” para estados parceiros do programa Jovem de Futuro

28/10/2020 | Editado em 28/10/2020 18:59

Formação auxiliará líderes escolares a enfrentar os desafios da educação diante da crise de Covid-19

O Instituto Unibanco e o Instituto Singularidades promovem, durante os meses de outubro e novembro de 2020, o curso on-line Liderança e Gestão escolar em tempos de crise. A formação, que tem o apoio da Universidade Diego Portales (UDP) e do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Moral (GEPEM), é oferecida em conjunto com as secretarias de educação parceiras no programa Jovem de Futuro, por adesão, e destinada a diretores e coordenadores escolares.

A formação busca apoiar gestores a lidarem com o desafio da retomada das atividades presenciais nas escolas. Para tanto, conta com amplo conteúdo teórico, de forma a auxiliá-los no processo de elaboração e revisão dos planos de ação de suas escolas. Com carga horária de 45 horas, o curso é dividido em três módulos: Bem-estar e gestão das relações, sobre autocuidado e cuidado da comunidade escolar; Liderando a organização em contextos de crise, que discute diferentes estilos de liderança, com foco no diagnóstico e na resolução colaborativa de problemas; e Gestão pedagógica em contexto de crise, em que serão discutidos os desafios pedagógicos para a retomada da aprendizagem.

“Seu denso aporte teórico está vinculado ao cotidiano dos gestores, possibilitando a reflexão sobre suas próprias práticas, além de viabilizar a troca de experiências para lidar com esse ambiente complexo do contexto da Covid-19. Deste modo, pretende-se garantir um processo de ensino-aprendizagem adequado ao desafio atual, com foco no bem-estar de todos, estudantes, professores e profissionais da educação”, explica Ricardo Henriques, superintendente-executivo do Instituto Unibanco.

Jovem de Futuro

Lançado em 2007, o programa Jovem de Futuro já impactou diretamente as vidas de aproximadamente 3,6 milhões de estudantes e as atividades de mais de 4.500 escolas públicas em 11 redes estaduais de ensino. Além disso, resultados recentes da iniciativa apontam para um aumento em quatro pontos na escala do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) em Língua Portuguesa e Matemática. “Isso significa 30% a mais de conhecimento. Em outras palavras, é como se, em três anos, os estudantes adquirissem conhecimento equivalente a quatro anos de estudos”, finaliza Henriques.