TOPO

Secretaria de Educação do Espírito Santo elabora Avaliação Diagnóstica dos estudantes

04/08/2020 | Editado em 04/08/2020 17:52

Disponível até 9 de agosto, pesquisa pretende identificar as aprendizagens e as habilidades desenvolvidas pelos estudantes em 2019

 Para identificar as aprendizagens e as habilidades desenvolvidas pelos estudantes das escolas estaduais capixabas em 2019, a Secretaria da Educação (Sedu) do Espírito Santo deu início, no dia 15 de julho, à aplicação das Avaliação Diagnóstica I. A pesquisa é focada nos estudantes do 6º ano do Ensino Fundamental à 3ª série do Ensino Médio.

A avaliação, online, deve ser respondida pelos estudantes da rede estadual de ensino até o dia 9 de agosto de 2020. O link de acesso estará disponível em cada grupo de turma no Google Sala de Aula. Para aqueles que não tiverem acesso à internet, ou apresentarem qualquer dificuldade no acesso, as avaliações poderão ser realizadas na escola no formato online ou impresso, quando as aulas presenciais retornarem, por meio de equipamentos na unidade de ensino.

O foco da aplicação é o levantamento de evidências para identificar possíveis defasagens de aprendizagens e, a partir da análise dos resultados, ter uma melhor compreensão da turma em relação às habilidades consolidadas. A mensuração é realizada para direcionar o planejamento, as propostas de intervenções pedagógicas e a continuidade do processo educativo.

A iniciativa conta com o apoio do Instituto Unibanco. No Espírito Santo, o Instituto é responsável pelo programa Jovem de Futuro, que tem foco na melhoria da aprendizagem dos estudantes do Ensino Médio, sua permanência na escola e na redução das desigualdades educacionais por meio da gestão da educação. Desde que foi implementado no estado, em 2015, em parceria com a Sedu, observou-se um importante avanço na nota IDEB do estado, de 3,65 (2015) para 4,12 (2017), tornando-se a segunda melhor unidade federativa do Brasil no índice.

Segundo Ricardo Henriques, superintendente executivo do Instituto Unibanco, avaliações diagnósticas são fundamentais para pautar o planejamento e execução de atividades pela melhoria da aprendizagem dos estudantes e a garantia de sua permanência na escola, ainda mais com a suspensão das aulas presenciais, devido à pandemia pela COVID-19.

“Haverá uma parte dos estudantes do ensino público que passará por um processo de ensino-aprendizagem a distância mais intenso, outros nem tanto, agravando, assim, as desigualdades já existentes na aprendizagem. Aplicar avaliações que possam mensurar essas disparidades é fundamental neste momento pré-retomada, para corrigir rotas e mitigar os efeitos deste período de suspensão das aulas presenciais”, descreve Henriques.

 

Para conferir o cronograma de aplicação e outras informações, clique aqui.