TOPO

Com saldo positivo, Juventudes Alagoanas aposta em ampliação da escolaridade e geração de renda

23/08/2022 | Editado em 29/11/2022 15:18

Iniciativa multissetorial recém-implantada promove o acesso educacional, com foco na progressão e conclusão do Ensino Médio, a profissionais da rede e estudantes mais vulneráveis

Caio Callegari, coordenador de Inovação em Políticas do Instituto Unibanco, durante evento

O Programa Juventudes Alagoanas, lançado em dezembro passado, promove novas oportunidades à população mais vulnerável e já alcança resultados positivos. Idealizada pelo Instituto Unibanco e o governo alagoano, por meio das Secretarias da Educação (Seduc-AL) e do Planejamento, Gestão e Patrimônio (Seplag-AL), a iniciativa multisetorial recém-implantada amplia o acesso educacional, com foco na progressão e conclusão do Ensino Médio, oferece ações em trabalho e renda, além de incentivar o desenvolvimento de habilidades e inserção social.

A iniciativa reúne cinco projetos norteadores e interligados: “Professor Mentor”, focado na melhoria da aprendizagem e geração de trabalho e renda; “Vem que dá tempo”, para ensino profissionalizante; “Bolsa Escola 10”, que combate a evasão escolar; “Educação para o emprego”, que atua na inserção profissional; e o “Pontapé educação”, para a promoção de estágios. O avanço das ações foi pauta de duas reuniões entre os órgãos envolvidos, na última semana, na quinta e na sexta-feira (11 e 12), em Alagoas, em meio às celebrações do Dia Mundial da Juventude.

Presente nos encontros, Caio Callegari, coordenador de Inovação em Políticas do Instituto Unibanco, lembrou do início do processo ocorrido no final do ano passado. “Houve a criação de uma estruturada colegiada entre diversas secretarias de estado, numa política intersetorial de juventudes com avanço contínuo, inclusive com uma pesquisa que ouça os jovens alagoanos”, explicou.

Caio detalhou que a conversa foi importante para dimensionar a criação de oportunidades à juventude, principalmente em dois programas. De acordo com os dados oficiais, atualmente, o “Vem que dá tempo”, que objetiva elevar a escolaridade, apresentou dados “impressionantes”. “Trata-se de uma política importante para a elevação do IDH do estado. Nos três anos anteriores somados, tínhamos de certificação, a partir de um programa pré-existente, de 3 mil jovens”. Agora, são 29 mil inscritos, 25 mil inseridos no processo de certificação do Ensino Fundamental 1, com 96% de aprovação, 1,2 mil articuladores e presença em 203 escolas estaduais de todos os municípios do estado. “Isso denota a capacidade de mobilização da atuação intersetorial das Secretarias de Educação e Planejamento e Gestão, aliada à colaboração de estado e município e da população”, analisou.

Já o “Professor Mentor” beneficia 9,5 mil pessoas, entre professores, coordenadores e estudantes monitores, com destaque à faixa etária de 15 a 18 anos. “A cobertura e o número de docentes que já aderiram a esse programa, logo no primeiro ano da sua implementação, são relevantes. É uma cobertura significativa, que, obviamente, precisa ser avaliada e monitorada pela Seduc”, disse o coordenador.

A manutenção da formação de gestores escolares também foi ponto abordado. “Estabelecemos a perspectiva de uma colaboração mais sólida com a Secretaria de Educação para aprimorar a formação em gestão escolar e avançar ações de monitoramento e avaliação sistemática”, emendou o coordenador.

Dia Mundial da Juventude

Acompanhado por Fabíola Camilo, analista de Inovação em Políticas do Instituto Unibanco, Caio representou a organização no evento “Fala! Juventude em ação”, em celebração ao Dia Mundial da Juventude, comemorado em 12 de agosto. Promovido pelo Conselho Estadual de Juventude de Alagoas, o encontro teve o apoio do governo de Alagoas e da ONU Habitat, agência especializada da Organização das Nações Unidas para a promoção de cidades mais sociais e ambientalmente sustentáveis.

A ação teve como público-alvo estudantes das escolas da rede estadual, membros de movimentos sociais e culturais, além de representantes de povos indígenas e aldeados. Palestras e oficinas apresentaram temas que dialogam com a perspectiva da juventude atual. Conduzido pelo coordenador, um dos painéis destacou a importância de dar voz aos jovens e apresentar caminhos institucionais para que exista uma participação direta na transformação das comunidades, seja ela escolar ou territorial, além de promover condições para melhorar a relação de confiança, o clima escolar e promover inovação.

“Nosso ensino tem que estar mais ligado aos sonhos da juventude e apresentar formas de participação direta na sociedade, de forma plural. É fundamental destacarmos a importância desse engajamento para que eles possam realizar trabalhos que dialoguem com as necessidades da comunidade, como trabalhos pedagógicos, colaborativos, autorais, e até participação em rádios e a criação de jornais comunitários”, analisou. Caio reiterou ainda da importância crucial do voto neste contexto, “para que a juventude possa participar das eleições e contribuir com o rumo da democracia.”

 

Mais sobre o “Juventudes Alagoanas”

  Professor Mentor visa conceder mais de 11 mil bolsas para professores e alunos. Cada professor mentor receberá R$ 1,5mil e o aluno monitor, R$ 250. O objetivo é incentivar a pesquisa no ambiente escolar, combater os déficits de aprendizagem e reduzir o abandono e a evasão escolar.

Vem que Dá Tempo objetiva resgatar e acelerar a educação de jovens e adultos, por meio da conclusão do Ensino Fundamental e Médio. Vai oferecer mais de duas mil bolsas para profissionais da rede estadual, com remuneração de R$1.500, que atuarão nos eixos de pesquisa, busca ativa, mediação tecnológica, cursos preparatórios e aplicação do Exame Estadual de Avaliação e Certificação na modalidade EJA (Educação de Jovens e Adultos).

Bolsa Escola 10 prevê uma bolsa mensal de R$100 para todos os alunos da rede pública estadual que tiverem frequência mínima de 80% em sala de aula. Também estabelece o pagamento de R$ 500 para os estudantes que retornaram às aulas presenciais e R$2 mil para os concluintes do 3º ano do ensino médio. A previsão é que mais de 120 mil alunos sejam beneficiados.

Educação para o Emprego vai orientar e preparar os alunos do EJA para conquista de um emprego, com uma série de aulas voltadas para o mercado de trabalho e incentivo para ações empreendedoras.

Pontapé educação estima ofertar 1,2 mil vagas para estagiários nas unidades de ensino da rede estadual, nas mais diversas áreas de atuação acadêmicas, como Direito, Nutrição, Educação Física, Administração e Ciências Contábeis. Terá ainda uma bolsa completação educacional, em valor mensal de um salário mínimo.

 

Compartilhe esta notícia!