TOPO

Instituto Unibanco debate o papel da equipe gestora no cuidado e bem-estar da comunidade escolar durante a pandemia

24/09/2020 | Editado em 24/09/2020 18:53

Em webinário, especialistas reforçaram a importância do cuidado socioemocional e apontaram ações propositivas às questões de convivência

O Instituto Unibanco promoveu, no dia 23 de setembro, em parceria com o Instituto Singularidades e com apoio da Universidade Diego Portales (UDP) e do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Moral (GEPEM), o webinário “Bem-Estar e Gestão das Relações”. Foram convidadas para o encontro as pesquisadoras do Gepem, Telma Vinha e Flávia Maria de Campos Vivaldi, além da coordenadora da Gestão Pedagógica do Ensino Médio da Secretaria da Educação do Estado do Ceará, Iane Nobre. O evento foi mediado por Jane Reolo, especialista em relações Interpessoais na Escola e analista sênior da Gerência de Desenvolvimento de Soluções do Instituto Unibanco.

Ao abrir o evento e dar as boas-vindas aos convidados, Jane lembrou o papel fundamental do gestor escolar na mediação da crise gerada pelo Covid-19 na educação pública. “Os gestores e gestoras têm um enorme desafio: cuidar do abandono, do atendimento ao aprendizado dos estudantes, do cumprimento das questões sanitárias, com um provável retorno das atividades presenciais, e da organização do ensino híbrido. Contudo, precisa ainda de um olhar atento para o necessário bem-estar psíquico, tanto de sua equipe, quanto de si mesmo”, explicou.

Telma Vinha, por sua vez, apresentou o estudo “Bem-estar e gestão das relações” de sua autoria, realizado ao longo dos meses de pandemia, sobre os novos cenários e desafios da vida social e da educação. Entre os apontamentos do estudo está o agravante do desemprego, principalmente entre os grupos mais vulneráveis, do qual fazem parte mulheres e pessoas pretas e pardas. Desde a segunda quinzena de março de 2020, segundo dados do IBGE compartilhados pela pesquisadora, 7 milhões de mulheres perderam o emprego, enquanto 2 milhões de homens foram demitidos. Todo esse cenário gerou uma convivência intensa entre as famílias e agravou problemas como: consumo de álcool, que aumentou, divórcio, estresse, ansiedade, depressão, violência doméstica física e sexual. A partir desses agravantes, o estudo apresenta ações e proposições para auxiliar os gestores e educadores. “Nós não podemos esquecer o bem-estar psíquico e o desenvolvimento socioemocional. Essas questões todas não podem competir uma com a outra, têm que ser vistas de forma integrada. Tão importante quanto as aprendizagens curriculares, é discutir, coletivamente, o que a gente aprendeu nesse período sobre ética, desigualdade e bem comum.”

Iane Nobre comentou a pesquisa da Telma Vinha e apresentou como a Seduc, no Ceará, junto aos gestores têm trabalhado as competências socioemocionais na rede estadual, com práticas já implementadas desde 2017. “Durante a pandemia, o acompanhamento do estado emocional e fortalecimento do vínculo dos estudantes com os professores e a escola foi o foco das ações. “É importante saber regular suas emoções, saber interagir, saber como trabalhar seus sentimentos, tanto quanto aprender a ler e escrever”, ponderou Iane.

Já Flávia Maria de Campos Vivaldi compartilhou práticas de impacto positivo no campo socioemocional que ela desenvolveu quando foi secretária municipal de Educação, em Poços de Caldas. Ela propôs uma roda de conversa livre mensal entre professores e servidores da secretaria, um espaço de troca e escuta. Com essas conversas, surgiram diagnósticos do clima escolar e das demandas e isso foi fundamental para a possibilidade de planejar uma formação mais elaborada com políticas públicas para melhorar a convivência nas escolas de forma ampla. “Essa é uma ação que, de fato, precisa de um olhar ampliado, não dá para pensar a convivência só para aluno ou professor, ela contempla toda aquela comunidade”, afirmou Flávia.

Por fim, Jane Reolo encerrou o encontro agradecendo a participação de todas as pesquisadoras e educadoras e reforçou a importância do acompanhamento das questões apresentadas, reforçando que as ações estão em pauta no Instituto Unibanco.

A íntegra do webinário está disponível em: https://youtu.be/IiKbgvhCAcY

Compartilhe esta notícia!