TOPO

Ed.12 | Boletim Assistência Humanitária no Contexto da Covid-19

12/08/2020 | Editado em 12/08/2020 13:50

Iniciada em março, a assistência humanitária realizada pelo Instituto Unibanco repassou até 7 de agosto R$ 45,6 milhões, direcionados a ações que visam mitigar os efeitos da pandemia entre populações em situação de  vulnerabilidade socioeconômica. A forma de utilização dos recursos foi definida em conjunto com organizações sociais parceiras, atuantes nos estados do Ceará, de Minas Gerais e do Rio de Janeiro.
Um dos grupos atingidos pela crise econômica e de saúde foram os trabalhadores autônomos que atuam nas vias púbicas. Com o isolamento social, perderam a principal fonte de recursos para sustentar suas famílias.
Essa realidade levou entidades como a Associação Nacional dos Catadores e Catadoras de Materiais Recicláveis
(Ancat), atuante em todo País, e o Movimento Unido dos Camelôs (Muca), do Rio de Janeiro, a adotarem medidas emergenciais de contenção da crise. Embora sejam tempos difíceis, a experiência trouxe avanços importantes a essas organizações, como a construção de uma rede mais fortalecida e a visão do que precisa ser feito no pós-pandemia, como contam, nesta edição, Roberto Rocha, presidente da Ancat, e Maria de Lurdes do Carmo, fundadora do Muca.

Compartilhe esta notícia!