TOPO

ED.16 | Boletim Assistência Humanitária no Contexto da Covid-19

08/10/2020 | Editado em 08/10/2020 16:33

Após meses de atuação em diferentes territórios de extrema vulnerabilidade socioeconômica, a articulação do Instituto Unibanco com 21 organizações sociais do Ceará, de Minas Gerais e do Rio de Janeiro revela a amplitude das ações emergenciais.

O desejo de mitigar os efeitos negativos da pandemia uniu organizações e coletivos que não trabalhavam juntos, além de fomentar a responsabilidade social de empresas, fortalecendo uma rede voltada ao desenvolvimento social e econômico dos diferentes territórios. As iniciativas realizadas também foram planejadas e executadas a partir da produção e qualificação de informações sobre as populações residentes nas localidades atendidas pelas ações e devem ficar como um legado desse período, contribuindo para o aprimoramento de projetos e políticas sociais.

Nesta edição, ouvimos representantes de duas instituições-referência do Ceará: Central Única das Favelas (Cufa) e Centro de Defesa da Vida Herbert de Souza. Suas reflexões e percepções sobre os desdobramentos das ações emergenciais reforçam a importância de uma atuação coordenada e sinérgica, que se mova em direção ao futuro.

 

Compartilhe esta notícia!