TOPO

Instituto Unibanco promove Hackathon em escola pública de São Paulo

17/11/2015 | Editado em 17/11/2015 19:46

Nos dias 14 e 15 de novembro o Instituto Unibanco promoveu um Hackathon na Escola Estadual Prof. Joaquim Braga de Paula, na zona leste de São Paulo. Quarenta e oito estudantes do Ensino Médio da escola participaram da maratona de tecnologia que durou 32 horas ininterruptas.

Os alunos se dividiram em grupos e, apoiados por consultores, elaboraram aplicativos que tinham como objetivo melhorar dinâmicas da escola relacionadas ao diálogo com a comunidade escolar, à organização de atividades internas e de estudo. “Trabalhamos em quatro pilares com esses jovens: diversão, tecnologia, cooperação e solidariedade”, explica Paulo Corniani, responsável pela agenda de juventudes do Instituto Unibanco.

Um dos projetos de destaque foi o Battle of Study, que tem por objetivo estimular os estudos do aluno. O aplicativo simula uma batalha, no qual os alunos criam avatares e ganham moedas ao acertar o questionário. Há várias opções de batalhas, como boxe para Matemática, no qual a troca de golpes acontece através de erros e acertos de questões sobre a disciplina. O aluno pode ainda assistir a vídeo-aulas e rever o conteúdo das perguntas que não soube responder. As batalhas podem ser disputadas online com os demais alunos da escola.

Outros aplicativos também se destacaram, como o JBP Quiz, que busca incentivar a leitura digital, e o Cyber Study, que tem por objetivo sociabilizar o aluno na escola e combater o bullying e a discriminação.

Para a estudante do 1º ano Lucila Celestina da Silva, de 15 anos, a experiência foi inesquecível. “A minha visão da escola mudou completamente pelo aprendizado que eu tive aqui. Vivi momentos que vão ficar marcados em mim para sempre”, conta.

Durante a maratona, os jovens intercalaram o desenvolvimento do aplicativo com três oficinas criativas: desconstrução/construção de robôs, robótica/arte/tecnologia e a construção de um dirigível. Os jovens passaram a noite na escola, com estruturas de alimentação e descanso preparadas no local, em barracas fornecidas pelo Instituto Unibanco.

“Tenho certeza que o que os alunos viveram foi mais do que um aprendizado. Eles saíram daqui confiantes de que são capazes de fazer uma mudança, de construir coisas e novos caminhos. O sentimento é de missão cumprida”, conta Geysa de Oliveira Barros, diretora da EE Prof. Joaquim Braga de Paula.

Compartilhe esta notícia!