TOPO

A presença das mulheres no mundo da educação

08/03/2022 | Editado em 08/03/2022 15:03

O Dia Internacional da Mulher é uma data importante para repensar os desafios e os avanços das mulheres na sociedade, em especial na educação. O Brasil é um país de professoras, isso porque elas são 81% dos docentes da educação básica. Essa presença protagonista na formação regular brasileira não se limita apenas à sala de aula, ela engloba também a gestão escolar, composta por 80,6% de mulheres, segundo dados do Censo Escolar 2020.

Apesar de serem fundamentais na formação de crianças, adolescentes e jovens, ainda há um longo caminho para sua equidade salarial, visto que a pesquisa também aponta que os professores do sexo masculino ganham 12% a mais que as professoras. 

Outro desafio a ser enfrentado é o aumento da presença feminina em cargos de gestão municipal, estadual e federal. Para se ter uma ideia, entre 1930 e 2020 o Brasil só teve uma ministra da educação: Esther de Figueiredo Ferraz, a única mulher na lista formada por 67 homens.

Nas salas de aula

A presença feminina também é expressiva dentro das salas de aula, e dados do Censo 2020 mostram que há uma leve predominância das meninas no Ensino Médio, visto que elas são 51,6% dos alunos. Mesmo com os números positivos no Brasil, a realidade em países com menor poder econômico é bem diferente. Segundo dados da Unicef, 30% das meninas entre 10 e 19 anos que vivem em maior situação de pobreza no mundo nunca frequentaram a escola.

A falta de acesso à educação como direito fundamental é um problema que tem consequências que perduram a vida toda de uma mulher, afetando inclusive seus familiares. Isso porque a baixa escolaridade dificulta a inclusão no mercado de trabalho, e a escolha para cargos melhores, e impacta diretamente a geração de renda das mulheres, que já enfrentam a disparidade salarial em relação aos homens.

Há ainda um longo caminho a ser percorrido e muitos avanços a serem conquistados pelas mulheres, em especial na educação. E a garantia do acesso à escola é fundamental para que essas transformações de fato aconteçam. Vale ressaltar também a importância de políticas públicas, a promoção de debates e ações práticas que abram verdadeiro espaço para as mulheres marcarem presença nos cargos de administração da educação, além de conquistarem a equidade salarial.

É essencial ter em mente que as mulheres são protagonistas na educação brasileira e precisam ter o reconhecimento devido de seus trabalhos tão importantes para a sociedade, não apenas em ações comemorativas, mas em medidas práticas que possibilitem o alcance de mais igualdade.

Compartilhe esta notícia!