TOPO

Família na escola: como ações de integração podem ajudar

27/05/2022 | Editado em 27/05/2022 14:36

Quando falamos em educação, logo pensamos no papel fundamental que a escola desempenha na formação de cidadãos. A verdade é que ela não pode trabalhar sozinha, sendo fundamental que a família seja integrada nesse processo tão importante para os estudantes, sempre visando a melhora do ensino como um todo. 

Mesmo não sendo uma tarefa fácil, o estabelecimento de uma relação entre as famílias e a escola pode proporcionar resultados satisfatórios para a qualidade da aprendizagem dos estudantes e deve ser amplamente discutido para que cada vez mais se consolide na rede de ensino. Por isso, é de extrema importância conscientizar os pais e responsáveis para que haja essa união entre as duas partes. 

Afinal, por que a relação é tão importante?

Segundo dados divulgados pelo Programa Internacional de Avaliação dos Estudantes (PISA), estudo internacional que avalia estudantes de 15 anos em cerca de 70 países, no Brasil apenas 50,2% deles dizem que os pais se interessam pelas atividades escolares. Esses dados brasileiros apontam que há uma diferença dentro desse percentual, sendo que 63% dos estudantes com maior nível socioeconômico informaram a participação dos pais contra os 46% de menor nível. 

Diante disso, é preciso entender que essa pauta, além de evidenciar a participação das famílias na educação, está relacionada a outros fatores, como a disponibilidade que os pais possuem, que muitas vezes é prejudicada por outras responsabilidades (profissionais, familiares, entre outras) e acaba os afastando de acompanhar a educação dos seus filhos. 

Impactos nos resultados

Quando analisamos o desempenho satisfatório dos alunos, podemos percebê-los como reflexo da participação dos pais. Ainda sobre os dados divulgados no Pisa em 2015, ano que o enfoque foi em ciências, a diferença equivalia a quase dois anos de estudos entre os dois grupos, com média de 414,08 pontos para aqueles com pais mais presentes na vida escolar do filho, contra 357,18 pontos entre os alunos com pais menos participativos.

Ações de integração entre família e escola podem ser estimuladas e promovidas para alcançar uma melhor formação cidadã. A gestão pode tentar entender os motivos que afastam os pais dos estudantes em sua localidade, e a partir disso tentar traçar estratégias para estreitar esses laços de convivência.

Dessa maneira será possível minimizar os efeitos negativos desse distanciamento entre família e escola. Vale ressaltar que envolver os alunos nesse processo e estimular também as relações afetivas entre eles e os seus familiares abre caminhos para essa presença ativa na vida escolar.

Ainda no mesmo contexto, um projeto de lei que autoriza o ensino domiciliar no Brasil foi aprovado pela Câmara dos Deputados no dia 19 de maio de 2022, e segue para aprovação do Senado. O que pode ir contra a todas as expectativas de melhora ao ensino público, principalmente levando em conta fatores socioeconômicos e dados de evasão escolar. Segundo um levantamento do Todos Pela Educação, o país acumula cerca de 244 mil crianças e adolescentes entre 6 a 14 anos fora das escolas. Assim, se o projeto realmente for sancionado, o papel da escola de guiar o aprendizado das disciplinas curriculares, ajudar na formação cidadã e promover a diversidade e inclusão social pode ser comprometido.

Diante deste cenário de incertezas, é fundamental que a gestão escolar reforce sua importância e seu papel na comunidade em que está inserida. E buscar a aproximação com os pais e responsáveis permite evidenciar a importância da educação e do espaço escolar para todos.

No Colégio Estadual São José (Jaraguá-GO), por exemplo, foi implementada uma semana de atividades que terminava com um dia da família na escola. Nesse dia, os pais foram atendidos por agentes de saúde, psicólogos e pelos próprios alunos oferecendo um dia de beleza para as mães. A diretora Patrícia Alves da Costa Ramos conta que foi importante trazer os pais à escola, e não só quando existem problemas com seus filhos, mas para proporcionar momentos mais prazerosos. Ações como essa podem contribuir de maneira positiva para o fortalecimento dessa relação família-escola e motivam os pais a se engajarem na educação pública.

É possível conferir outras ações inspiradoras como essa no Banco de Soluções do Observatório da Educação, a plataforma do Instituto Unibanco que oferece diversos conteúdos sobre o Ensino Médio e a gestão em educação pública. 

Compartilhe esta notícia!