TOPO

Gestão de pessoas em tempos de Covid-19: vamos pensar juntos sobre isso?

30/11/2020 | Editado em 30/11/2020 16:56

Por Cibele Franzese (professora da FGV/EAESP), Michael Cerqueira (consultor de gestão de pessoas) e Pedro Marin (pesquisador em Administração Pública e Governo) – consultores convidados pelo Instituto para realização da série.

Governos do mundo todo tiveram que tomar decisões rápidas e difíceis quando a pandemia da Covid-19 chegou. No campo educacional, segundo estimativa da Unesco, a crise imposta pelo vírus chegou a afetar mais de 1 bilhão de estudantes e 60 milhões de professores, que não puderam frequentar as salas de aula. A paralisação das atividades presenciais nas escolas afetou fortemente as áreas responsáveis pela gestão de pessoas, que tiveram que pensar estratégias de trabalho remoto, enfrentar desafios tecnológicos, mudar a forma com que controlavam a frequência de servidores(as), capacitar docentes para dar aulas remotas, lidar com desafios socioemocionais e estabelecer protocolos de afastamento do(a)s profissionais infectado(a)s. Tudo isso em muito pouco tempo!

Com o objetivo de apoiar as redes educacionais durante os próximos meses, iniciamos a série Gestão estratégica de pessoas na educação no contexto da pandemia. A ideia é mobilizar repertórios sobre o tema em diversos formatos, como vídeos, enquetes, pequenos textos e imagens.

A definição das questões que abordaremos aqui se deu a partir de uma escuta atenta de gestores e gestoras de algumas das redes estaduais parceiras do Instituto Unibanco na implementação do programa Jovem de Futuro, que apontaram suas principais inquietações e dúvidas sobre a temática. Nessas conversas, alguns estados demonstraram preocupação, por exemplo, com os impactos socioemocionais e com a falta de engajamento de parte do(a)s servidore(a)s. Outros, com a qualidade dos dados sobre o desempenho de professore(a)s no ensino remoto. Também apareceram dúvidas sobre como avaliar e capacitar docentes neste novo contexto.

Ao longo das próximas postagens, vamos promover reflexões sobre esses aspectos e apresentar algumas ferramentas que podem ajudar a trabalhar a gestão de pessoas de forma mais estratégica, ou seja, tendo como perspectiva horizontes de médio e longo prazos e alinhada ao principal objetivo da educação, que é garantir o aprendizado e o desenvolvimento do(a)s estudantes.

Esperamos contar com sua companhia ao longo dessa jornada!

* Este post faz parte da série Gestão estratégica de pessoas na educação no contexto da pandemia. A ideia é mobilizar repertórios sobre o tema em diversos formatos, como vídeos, enquetes, pequenos textos e imagens e apoiar as secretarias de Educação.

Compartilhe esta notícia!